Romance

O Irresistível Café de Cupackes

a7ebf8_e9780acbbfb4438481099cb2b8c84aceSer uma advogada bem sucedida, viver em uma cidade que adora e ter um noivo brilhante parece ser mais do que bom para Ellen Branford. Na verdade, sua vida está na mais perfeita direção. Quer dizer… Estava indo tudo maravilhosamente bem em sua vida: ela se casaria em três meses e logo Hayden, seu noivo, teria sua carreira política em ascensão. Isto na percepção de uma semana atrás, antes de resolver ir até Beacon, no Maine, realizar o último pedido de sua avó: entregar uma carta para Chet Cummings.

Para Ellen se trata apenas de uma viagem rápida, de três dias, no máximo. Mas, apesar de sua obstinação, o destino não parece ser tão flexível assim. As coisas aparentam ser mais difíceis do que o esperado. O mar quase a devora pouco depois de sua chegada, a pousada em que se hospeda a faz sentir saudade dos hotéis cinco estrelas pelos quais já passou. E, poxa, bem que Beacon poderia ser  um pouquinho modernizada!

“Foi uma péssima ideia eu vir. Olhe só o que já aconteceu. Talvez seja apenas um lugar azarado.
Talvez por isso a vovó tenha ido embora assim que teve idade suficiente.”

No entanto, a cidade de  interior, sem graça, que ela acreditara ser Beacon se mostra cada vez mais instigante. Não só pelo homem de 1,90 de altura que a libertou do mar, mas porque, acima de tudo, foi lá o começo da história de sua avó. É em Beacon que ela começa a encontrar vestígios da jovem que um dia sua avó foi, os mistérios de uma vida que jamais imaginou que sua avó tivesse vivido.

 “Eu tinha feito uma descoberta — uma janela para a vida da minha avó. Uma vida sobre a qual nós não sabíamos nada. Isso era uma dádiva, inesperada e maravilhosa. O quanto ainda havia por descobrir eu não tinha ideia. Mas de uma coisa eu tinha certeza: eu não iria embora de Beacon.”

A Ellen é uma mulher de 35 anos muito orgulhosa. E uma das coisas que mais me irritou na narração, que é em primeira pessoa, foi o fato de ela saber que está errada, mas mesmo assim não voltar atrás. Ironicamente, também foi o que me fez gostar dela, porque demonstra que ela tem falhas, como qualquer um, e que as reconhece. Ela é uma mulher forte, honesta, que cumpre com seus compromissos. E os inúmeros conflitos internos que ela tem só deixa claro que apesar de ser durona ela não pode resistir a tudo, ela também é vulnerável.

Achei os personagens coadjuvantes muito graciosos. Roy, o herói de Ellen, muitas vezes me fez questionar o que realmente valorizo. Ele é um homem esforçado e doce, e o que mais amei nele foi o fato de ele ser inabalável na missão de provocar Ellen, de pôr um charme nas situações.

A relação de cada personagem com Beacon foi algo que admirei muito, pois nos faz rever nossa concepção de alguns lugares, comidas e talvez, até mesmo da vida. Nos remete à reflexão “o mesmo objeto pode ser visto em diferentes ângulos”.

Mary Simses me impressionou com o fato de o título ser tão inerente à história.

A leitura é leve e bastante breve, mas foi gostosa o suficiente para me fazer sentir um friozinho na barriga e muita vontade de que tudo se encaixasse no seu devido lugar.

Título original: The Irresistible Blueberry Bakeshop & Café
Autor: Mary Simses
Páginas: 288
Editora: Paralela
Edição: 1ª, 2014

PDF

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s